estratégias de Marketing

O ano de 2017 confirmou como a profissionalização das estratégias de Marketing é essencial para se destacar da concorrência em todos os segmentos e em empresas de todos os portes. Também consolidou o sucesso do Marketing de Conteúdo aliado a outras estratégias no meio digital.

Com a transformação constante do comportamento do consumidor, reunimos nove tendências de Marketing que devem merecer ainda mais atenção em 2018.

1. Pense em mobile

Não dá mais pra pensar nas estratégias digitais apenas para o desktop. De acordo com a pesquisa We Are Social 2017, smartphones já lideram a lista de dispositivos utilizados para navegar na web, com 51,4% pessoas utilizando estes dispositivos. Isso representa um aumento de 25% em relação ao ano anterior. Enquanto isso, laptops e desktops caíram 19% e estão em segundo lugar, com 43,4%. Isso significa que o seu site deve ser amigável ao mobile, com layout responsivo, rapidez para carregar a página, além de todas as suas imagens e vídeos poderem contar com uma visualização agradável em telas menores.

2. Conteúdos cada vez mais personalizados e relevantes

Toda a experiência do usuário está mais personalizada: ele pode escolher o que vê no seu feed de notícias e até mesmo os anúncios às vezes parecem ouvir as conversas daquele usuário, de tão precisas. Por isso, o usuário está consumindo cada vez mais conteúdo específico para as necessidades dele. As pessoas já sabem identificar clickbaits e estão começando a evitá-los, por isso, preocupe-se menos com o volume de cliques e mais com o tempo de permanência do usuário no site e a capacidade de compartilhamento do seu conteúdo. Além de ajudar a sua empresa a se tornar referência, conteúdos personalizados são essenciais para ajudar a guiar o seu público na jornada de compras e fechar a venda

3. Inteligência artificial e automação

Os consumidores estão cada vez mais exigentes em relação à agilidade de resposta que eles esperam de um negócio. Se antes eles enviavam cartas, e-mails ou esperavam valiosos minutos na linha do call center, hoje muitos deles utilizam as redes sociais para se comunicarem com as empresas e alguns não têm paciência para esperar muito por uma resposta. Por isso, as empresas estão investindo cada vez mais em chatbots, mensagens pré-programadas que podem guiar o usuário com base nas respostas deles. Se antes esta prática era limitada a alguns sites, hoje já há possibilidades de integrá-la em algumas redes sociais, como no Messenger do Facebook. Em outra ponta, a automação de envios de e-mail marketing com base na jornada de compra continua em alta. Mas lembre-se, embora muitas pessoas saibam que estão lidando com robôs, elas ainda querem um tratamento personalizado e o mais humano possível.

4. Vídeos e streaming

Na mesma onda de que o consumidor exige um tratamento cada vez mais humano das marcas, eles buscam em vídeos e transmissões ao vivo ver um pouco mais da “cara” da empresa. Por isso, vale ficar atento à produção de conteúdo também neste formato. A gente sabe que produções em vídeo costumam significar um investimento um pouco maior, mas vídeos curtos e pouco produzidos, desde que úteis e com boa qualidade de som e áudio, já ajudam bastante a sua estratégia. Pode ser um depoimento, um tutorial ou uma simples demonstração de produto: o público está cada vez mais inclinado a assistir do que ler algo sobre o mesmo assunto.

5. Integração on-line e off-line

Não é porque o Marketing digital está tão significativo e caminhando a passos cada vez mais largos que a mídia tradicional deve ser completamente deixada de lado. Hoje em dia a tecnologia tem facilitado o acesso  às mídias mais tradicionais, como os outdoors, por meio dos displays digitais. Com isso, é possível flexibilizar a exposição e deixá-la mais adequada ao objetivo da campanha. Também é interessante promover a integração off-line e on-line, em que o público tenha acesso a descontos em lojas físicas por meios digitais ou cupons fiscais que incentivam os clientes a responderem pesquisas on-line em troca de brindes.

6. Marketing de influência e conteúdo patrocinado

Cada vez mais pessoas estão aderindo aos bloqueadores de anúncios nos navegadores, o que afeta muito o desempenho das campanhas dos anunciantes. Para não estar sujeito a estas extensões, é possível apostar em alternativas como o Marketing com influenciadores e conteúdo patrocinado. Caso você ainda não esteja familiarizado com estes termos, o Marketing de influenciadores se baseia em patrocinar blogueiros, celebridades ou qualquer pessoa que possua influência estratégica no seu segmento para que eles divulguem a sua marca. Já o conteúdo patrocinado se dá quando é comprado um espaço normalmente jornalístico para fazer conteúdo voltado a sua marca. Um exemplo são os bancos que patrocinam posts sobre finanças em sites como o BuzzFeed.

7. Propaganda na caixa de entrada

Não estamos falando do e-mail marketing, já que a prática já é consolidada. Mas as empresas estão começando a olhar com mais atenção para os aplicativos de mensagens, principalmente agora que o Facebook liberou a publicidade no Messenger e no WhatsApp. E estamos falando de espaço estritamente publicitário, não as mensagens que eram enviadas manualmente nestes aplicativos. Desta forma é possível atingir um público além da sua lista de contatos.

8. Marketing de busca

Embora as redes sociais sejam uma ótima plataforma para atingir público e divulgar a sua marca, a maior parte das conversões, ou seja, das vendas, é feita a partir de ferramentas de busca. Por isso, mais do que nunca é fundamental que a sua empresa tenha um bom posicionamento em mecanismos de busca on-line, como o Google, preferencialmente orgânico. Para isso, o seu site deve estar otimizado com estratégias de SEO (Search Engine Optimization) para que o Google o posicione na frente dos seus concorrentes diretos e indiretos.

9. Agências especializadas

O Marketing digital deixou a forma de se fazer comunicação um pouco mais democrática: em tese, o espaço que todas as empresas têm é o mesmo, independentemente de porte. Um pequeno comércio de bairro pode ter uma página, assim como marcas do nível da Coca-Cola também conta com uma página, com as mesmas possibilidades. Com a assessoria de uma agência especializada, os materiais de empresas menores não perdem em nada para organizações de orçamentos milionários. Assim como microempresas também já podem, com a agência certa, contar com sites responsivos e conteúdos que ajudem na indexação com o Google. Para definir qual a melhor estratégia para investir na comunicação da sua empresa conte com a gente! É só nos mandar uma mensagem que entramos em contato.

estratégias de Marketing