E-mail marketing ou redes sociais

O Marketing Digital possui diversas possibilidades de ferramentas para conquistar e manter clientes. Entre as mais utilizadas por empresas estão o e-mail marketing e as redes sociais. Mas afinal, qual das duas é mais eficaz para a sua empresa?

Pode parecer frustrante, mas a resposta “depende” deve ser levada a sério neste caso. Isso porque cada uma destas ferramentas possui vantagens e desvantagens, que estão diretamente relacionadas aos objetivos da empresa com determinado público. Por isso, criamos um comparativo entre os dois nos aspectos listados abaixo:

Entregabilidade

Enquanto redes como o Facebook minam o alcance orgânico da publicação a menos de 10% do público, a taxa de entrega do e-mail marketing costuma ser mais alta. Uma taxa de entrega de e-mail marketing acima de 95% é considerada muito boa, pois há poucos e-mails inativos, com caixas de entrada cheias ou com algum outro fator que tenha impedido a entrega. No entanto, entregar um e-mail não é sinônimo de leitura. Taxas de abertura acima de 20% são consideradas positivas, o que ainda é mais alto do que o simples alcance de uma publicação em redes sociais, quando não impulsionado. Quem ganha: e-mail marketing.

Alcance

No tópico anterior falamos em alcance orgânico no Facebook, que é relativamente baixo. No entanto, quando se trabalha com anúncios em redes sociais as possibilidades se expandem além dos seus seguidores. A sua empresa tem a possibilidade de atingir potenciais clientes que ainda não tinham conhecimento ou simplesmente não seguiam a sua marca. E isso você pode definir com segmentações de público, para garantir que o seu conteúdo só apareça para quem interessa. Muito mais eficaz do que a compra de uma lista de e-mails que, além de imprecisa, é uma prática ilegal. Quem ganha: redes sociais.

Autonomia

Quando a sua empresa utiliza uma rede social ou sites como o Youtube, ela está sujeita às regras da ferramenta. Isso quer dizer que a qualquer mudança de regras a sua empresa precisará se adaptar ou aquela rede pode deixar de ser vantajosa. Um exemplo é a limitação do alcance orgânico de páginas no Facebook, que caiu drasticamente nos últimos anos, forçando as empresas a investirem em publicidade. Sem contar que de uma hora para a outra a sua página pode desaparecer, caso a rede deixe de existir. No e-mail marketing a lista é sua. Por mais que você mude a ferramenta de envio, o principal capital continua sob o seu controle. Quem ganha: e-mail marketing

Relatórios

Tanto as redes sociais como as ferramentas de disparo de e-mail marketing fornecem relatórios sobre o desempenho de cada campanha. Uma vantagem é que o rastreio das ações em e-mail marketing podem ser mais precisos, dependendo da ferramenta e do pacote contratado. Já nas redes sociais, você sabe o quanto foi pago em cada impressão, clique e interação com o seu conteúdo. Quem ganha: empate.

Custo

O investimento para as duas ferramentas é razoavelmente baixo, se comparado a outras estratégias de marketing. É possível até fazê-los de graça quando se está começando, já que é possível cadastrar os contatos em uma planilha para envio de e-mails e a criação de uma página nas redes sociais é gratuita. No entanto, para crescer e poder aproveitar melhor as ferramentas investimentos serão necessários. Quem ganha: empate.

Relacionamento

Enquanto o caminho do e-mail marketing seja mais unilateral, as redes sociais favorecem a interação. Há possibilidades de curtir, comentar, compartilhar conteúdo e até mesmo trocar ideia com outros clientes da marca. No e-mail marketing são mais raros os casos de compartilhamento de conteúdo e até mesmo de resposta à empresa. Quem ganha: redes sociais.

Conversão

Embora as redes sociais consigam levar a sua marca a novos públicos, o e-mail tem se mostrado uma ferramenta útil na hora de aquecer os leads e transformá-los em clientes. Dificilmente uma pessoa irá fazer uma compra ou contratar um serviço no primeiro contato com a marca. Mas com a construção deste relacionamento, fica mais fácil fechar a venda. Quem ganha: e-mail marketing.

Conclusão

Se a sua empresa precisa conquistar público e ser conhecida por outras pessoas, as redes sociais são indispensáveis. Agora, se você já possui uma base de contatos grande e só quer guiá-los ao momento de compra, o e-mail marketing pode ser a saída. No fim das contas, o ideal é poder contar com os dois, já que a sua empresa provavelmente precisará trabalhar nestas duas frentes na maior parte do tempo. O legal de contar com as duas possibilidades é que uma complementa a outra: você pode convidar pessoas das redes sociais a se cadastrarem para receber e-mails, assim como pode enviar e-mails convidando para as suas redes sociais.

Caso você não tenha entendido algum termo aqui, acesse o nosso Dicionário prático de Marketing digital.

E-mail marketing ou redes sociais