Marketing digital

A sua estratégia é mais inbound ou outbound? Em quanto anda o CPC para o seu segmento? Alcance orgânico não tem nada a ver com horta e você não precisa ser um CEO pra saber o significado de SEO. Sim, o Marketing digital pode ter alguns termos bem estranhos para quem não está acostumado. E é justamente para facilitar a sua vida que reunimos aqui os principais termos utilizados no meio:

Adwords: serviço de publicidade oferecido pelo Google. Nele, a empresa compra palavras-chave para que o site apareça melhor posicionado na pesquisa do buscador.

Automação de Marketing: mecanismos que permitem ações de Marketing digital realizadas de forma automatizada, com base no comportamento do público. Em exemplo é o envio de e-mails marketing a partir de um determinado material que a pessoa solicitou para download.

Blog: esqueça os diários que marcaram o início dos anos 2000, hoje os blogs são uma ferramenta útil para aplicar estratégias de Marketing de conteúdo e manter o site da empresa constantemente atualizado. Além de atrair público, eles ajudam que a empresa se torne referência na área.

Busca orgânica: trata-se do tráfego do site que vem do bom posicionamento do site no Google. Quanto melhor o posicionamento do site, maior tendem a ser os números referentes à busca orgânica.

CAC: sigla para Custo de Aquisição do Cliente. Por meio dele, as empresas podem calcular o quanto gastam para conquistar um novo cliente. Esta métrica também existe fora do Marketing digital, mas os relatórios oferecidos pelas ferramentas on-line deixam este índice muito mais preciso.

Conversão: quando o usuário realiza a ação desejada pela empresa. Pode ser o preenchimento de um formulário ou a venda em si, por exemplo.

CPC: sigla para Custo por Clique. Trata-se de uma forma de cobrança de serviços de publicidade on-line, como o Adwords, que cobra o anunciante a cada clique realizado.

CRM: sigla de Customer Relationship Manager, ou simplesmente gerenciamento de relacionamento com clientes. Este gerenciamento pode ser feito através de softwares, que armazenam informações e histórico de interações com cada cliente.

CTA: sigla de Call to Action, que são os comandos que instruem o usuário a realizar a ação desejada (baixar um material, clicar em um link, enviar uma mensagem, entre outras possibilidades).

E-book: no Marketing são livros eletrônicos com materiais educativos, mais densos do que posts de blog, mas ainda amigáveis à leitura em tela.

Edge Rank: é o algoritmo utilizado pelo Facebook para determinar a relevância de determinado conteúdo no feed de notícias do usuário e, consequentemente, o alcance do post. Ele leva em consideração fatores como: interação de usuários, o formato do post e a data da publicação.

Funil de vendas: trata-se dos diferentes estágios de compra de um cliente em potencial. Pode ser imaginado no formato de uma pirâmide invertida, em que as pessoas no topo estão menos preparadas para finalizar a compra, enquanto os que estiverem na ponta de baixo estão mais próximas de tomar a decisão. É preciso dedicar conteúdos diferentes a cada um deles para garantir a conversão das vendas.

Inbound Marketing: é uma metodologia de Marketing focada em atrair os clientes para o momento de compra do que fazer a empresa ir atrás do cliente, como no Outbound Marketing. Uma das estratégias é o Marketing de conteúdo e a construção gradativa de relacionamento com clientes em potencial.

KPI: sigla de Key Performance Indicators, ou seja, os indicadores definidos para medir o progresso das ações na busca por alcançar determinada meta.

Landing page: página criada com propósito específico de conversão. Um bom exemplo é aquela página que oferece um material (ebook, webinar, blog post) em troca do preenchimento de um formulário. Assim, a empresa converte o visitante em lead.

Lead: conforme o exemplo anterior, é uma pessoa que deixou suas informações de contato e passa a ser um cliente em potencial. Com estas informações, a empresa pode guiá-la pelo funil de vendas para que ela se torne cliente.

Marketing de conteúdo: uma das estratégias do Inbound Marketing, consiste em oferecer conteúdo relevante para o público-alvo para construir relacionamento e fazer com que a empresa se torne referência, atraindo cada vez mais clientes em potencial.

Mobile: tudo o que for relacionado a dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

Nutrição de leads: é a preparação do lead pelo funil de vendas para que ele se torne um cliente. Como já comentado no tópico “Automação de Marketing”, pode ser feito através do disparo de conteúdos específicos que deixem a pessoa mais próximas do momento da compra.

Outbound Marketing: estratégias mais tradicionais de Marketing em que a empresa vai atrás do cliente. Em alguns casos é chamado de “Marketing de interrupção”. São incluídos neste formado: representantes comerciais, telemarketing, anúncios de rádio e TV, envio de mensagens por SMS ou WhatsApp.

Remarketing: exibição de anúncios baseada no comportamento on-line do usuário. Sabe quando você entra em um site ou pesquisa determinado produto e, de repente, todos os anúncios parecem ser daquele site ou produto? Este é um belo exemplo de Remarketing.

ROI: sigla para Returno of Investment, ou apenas retorno de investimento. É a relação entre o que a empresa faturou baseado em determinado investimento em Marketing. Também já existia antes do Marketing digital.

Segmentação: é utilizada para dividir o público em subgrupos e destinar conteúdos específicos a cada um deles. Um exemplo pode ser regional, por momento de compra e até mesmo por comportamento de compra.

SEO: sigla de Search Engine Optimization (a pronúncia correta é “és-i-ou”). Trata-se da reunião de técnicas que melhoram a posição do site em mecanismos de busca, como o Google. Elas podem consistir em melhorias dentro do site e fora dele.

Taxa de conversão: é o percentual de ações desejadas do usuário dentro do alcance de determinado material. Por exemplo, a relação entre pessoas que visualizaram um produto em um e-commerce quantas finalizaram a compra.

Webinar: abreviação de seminário web, trata-se de um tipo de conteúdo educativo disponibilizado no formato de vídeo. Podem ser aulas, cursos, palestras, gravados ou ao vivo.

Marketing digital