Ter um site é importante para qualquer empresa, isto ninguém nega. Mas é preciso ir além do mero cartão de visitas: o site precisa atender a objetivos estratégicos da empresa. Uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito indica que 90% dos brasileiros inicia o seu processo de compra na Internet, independentemente da aquisição ser feita on-line ou não.

Lembre-se dos tempos em que esta pesquisa era feita de loja em loja: os consumidores se dirigiam à principal rua do comércio da cidade e visitavam todas ou a maioria das lojas que vendessem o artigo que procuravam. Pense que esta rua comercial é a primeira página de resultados de pesquisas na Internet: aquelas não são as únicas possibilidades, há lojas em outros bairros, mas que não estão posicionadas estrategicamente para atrair mais compradores.

Estudos apontam que 80% das pessoas não chegam a pesquisar a segunda página de resultados de pesquisa, enquanto 60% clicam apenas nos três primeiros resultados. Volte a pensar na rua comercial: os três primeiros resultados seriam as lojas com maior apelo, a melhor vitrine e os melhores atrativos, que certamente conseguirão trazer mais clientes do que os demais estabelecimentos.

 

Por que o Google? 

É certo que o Google não é o único buscador da Internet, há outras possibilidades como o Bing, o Yahoo e muitos outros. No entanto, vale a pena direcionar os esforços de SEO para o Google pois ele é utilizado por 95% dos brasileiros para fazer pesquisas na Internet. Somado ao fato que as pessoas passam 30% do seu tempo na Internet fazendo pesquisas em ferramentas de busca, é estratégico fazer com o que o seu site esteja entre os primeiros resultados.

 

SEO? O que é isso?

A sigla SEO vem do inglês e significa “Search Engine Optimization”, que nada mais é do que a otimização do site para os mecanismos de busca. Isto compreende uma série de melhorias para que o seu site seja visto como relevante e, consequentemente, figure entre os primeiros resultados da busca.

Estudos apontam que 80% das pessoas não chegam a pesquisar a segunda página de resultados de pesquisa, enquanto 60% clicam apenas nos três primeiros resultados.  

Para ser considerado relevante ele deve receber uma quantidade significativa de acessos. Pode parecer até um paradigma: o seu site não aparece nas buscas porque não tem acessos, mas como ele terá mais acessos se não tem visibilidade nos buscadores? É por isso que falamos em uma série de melhorias. Apenas a quantidade de acessos não é determinante para um bom SEO.

Veja abaixo alguns fatores que podem dar aquele empurrãozinho para que o seu site apareça no topo das pesquisas:

Palavras-chave: para que o seu público encontre o seu site você precisa entender como ele faz buscas na Internet. Se você possui uma agência de empregos, por exemplo, qual a busca que as pessoas fazem ao procurar vagas? Provavelmente elas digitarão no Google algo como “vagas de emprego” mais a cidade ou região em que elas pretendem trabalhar. Por isso, você tem que ter certeza de que as áreas mais nobres do seu site contem com estas informações, facilitando a busca do seu cliente em potencial. Ao escolher as palavras seja prático, por mais que algum outro sinônimo seja mais “bonito”, pense no que o seu público irá procurar.

Títulos das páginas: falamos no tópico anterior que é importante colocar as palavras-chave nas partes mais nobres do seu site. Mas quais seriam elas? As áreas que irão aparecer na busca, como os títulos de páginas e descrições dos conteúdos. Nada em um site passa batido na hora em que o Google irá fazer a leitura dele. Preocupe-se, inclusive, com os nomes de arquivos de imagens e texto alternativo das imagens, utilizados para acessibilidade de deficientes visuais. Sites com acessibilidade e títulos relevantes são bem vistos pelo Google.

Layout responsivo: você já tentou acessar um site do seu celular e precisou ficar dando zoom e arrastando a página porque o texto era muito pequeno? Isso acontece com sites que não são responsivos. Além de dificultarem a leitura de quem acessa, estas páginas que não se adaptam a outros formatos de tela, como tablets e smartphones, e têm sua nota rebaixada no Google. Faça o teste e abra o site da sua empresa em um smartphone: se ele não se adaptou à tela, está na hora de desenvolver uma página nova.

Conteúdo relevante e atual: não basta apenas encher o site de palavras-chave. Elas precisam fazer sentido e serem relevantes para o usuário. Por isso se tornou tão comum a prática de blogs em sites empresariais. Além de serem uma boa fonte de conteúdo relevante para o seu público, os posts vão manter o seu site atualizado constantemente, fazendo com que o Google entenda que ele é importante.

Estes são apenas alguns dos elementos que o Google leva em consideração na hora de posicionar um site nos seus resultados de pesquisa, existem muitos outros recursos a se levar em conta na hora de desenvolver a página.

Não sabe se o seu site tem uma boa nota com o Google? Entre em contato que nós faremos este levantamento de forma gratuita para você.