marketing para idosos

Quando se pensa em estratégia comercial na maioria das vezes o público-alvo envolve adultos, jovens e até mesmo crianças (como influenciadoras de peso). Mas o Marketing para idosos é muitas vezes esquecido ou mesclado aos outros públicos, sem a devida atenção e detalhamento. Com uma expetativa de vida cada vez mais alta e mais vovôs e vovós conectados, é hora da sua estratégia aposentar os preconceitos e tratar a terceira idade com a atenção que ela merece.

Dados de um estudo de 2018 da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que entre os anos 2015 e 2050 a população mundial com mais de 60 anos vai passar de 12% para 22%. Ainda pode parecer pouco, mas pense que esta representatividade irá aumentar em quase 100%. Com pessoas vivendo cada vez mais e as taxas de natalidade caindo, é inegável o fato de que a humanidade está envelhecendo.

Se as estatísticas mundiais chamam a atenção, no Brasil o envelhecimento é ainda mais acelerado. É o que indica um estudo do Ipea de 2016, que diz que até 2060 33% da população brasileira terá mais de 60 anos (hoje o índice é de 10%).

 

Por que o Marketing para idosos é estratégico 

Apesar dos dados apontarem este envelhecimento, a terceira idade ainda não é contemplada de forma apropriada nas estratégias de Marketing, principalmente no digital. Um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de 2018 aponta um dado preocupante: 70% das empresas acham que os idosos não acompanham as transformações tecnológicas. Mas dados do IBGE rebatem esta crença, apontando que 25% dos brasileiros acima de 60 anos já estão conectados à Internet.

O erro é cair no conceito antiquado de terceira idade pacata, aposentada e com dificuldade de compreender a tecnologia. Porém, ao mesmo tempo em que os dados indicam um “envelhecimento da população” notamos uma terceira idade cada vez mais jovem e cheia de vida. Pode observar, seja por meio dos seus pais ou avós, como a maioria deles parece jovem demais para a idade que têm, não é mesmo? Antigamente tinha-se uma ideia, por exemplo, de que uma pessoa com 40 anos já estaria com a vida completamente encaminhada, filhos saindo de casa e apenas trabalhando os poucos anos que restavam antes da aposentadoria. Hoje observamos pessoas desta faixa etária iniciando uma nova carreira, saindo à noite nas baladas e com uma vida social que se estende a redes como o Facebook e o Instagram. Você realmente acha que em 20 anos elas estarão sossegadas em casa, de pantufas e sem acessar a Internet?

A tendência é de que pessoas com 60 anos ou mais estejam cada vez mais ativas e representando uma importante fatia da força de trabalho e do público consumidor. Mas isso não significa que este público não tenha peculiaridades. Ao mesmo tempo em que os idosos estão consumindo mais, eles raramente se veem representados pela publicidade nos segmentos consumidos por eles e é aí que a sua empresa pode encontrar a oportunidade de ouro.

Por exemplo, dados da pesquisa Mercado Consumidor 50+ (Maturi Jobs/Noz 2018) apontam que apenas 5% dos idosos se identificam com campanhas do segmento de vestuário. O fato de eles não se identificarem não significa que eles não se interessem pelo tema. Esta lacuna abre a possibilidade de atender um nicho de forma mais assertiva. Prova disso é o vídeo da influenciadora Marcia Gabriel no Youtube “Moda depois dos 50 e 60”, que já atinge cerca de 1 milhão de visualizações. Mais uma prova de que a terceira idade está conectada sim senhor.

 

Terceira idade digital

Se você se surpreendeu com o número de visualizações em um conteúdo voltado à terceira idade, acostume-se também a esta realidade: o Youtube é a plataforma preferida para assistir vídeos entre pessoas de 45 a 55 anos de idade (Google, 2018). O serviço até já conta com influenciadores sêniores, como é o caso de Nilson Izaias, conhecido como “Vovô do Slime”, que virou um fenômeno no Brasil.

Caso você ainda esteja duvidando do ingresso da terceira idade no mundo digital e do seu poder de compra veja só isso: consumidores com mais de 55 anos compraram mais celulares na Black Friday de 2018 do que pessoas entre 18 e 54 anos. A diferença chega a 40% do volume de compras.

Além de ser uma terceira idade mais conectada, dados do Google também apontam que eles utilizam a tecnologia para cuidarem da aparência. Cerca de 3 milhões de pesquisas no último ano estão relacionadas ao termo “pele madura”, apresentando um aumento de 40% em relação às buscas do ano anterior.

O que estamos querendo dizer com todos estes exemplos é que há um mar de oportunidades de Marketing que as empresas ainda não estão aproveitando por desconhecerem o comportamento e o poder de compra deste público. Os idosos de hoje estão provando que velha mesma é só a ideia que se tem da terceira idade. Eles estão mais ativos do que nunca. Quem não pode estagnar é a sua estratégia.

Leia também: Influenciadores: Por que o seu cliente é fundamental nesta estratégia

O que você quer procurar?

campanhas de dia das mães